Pilates

 Joseph Pilates (1880-1967), inventor do método, era alemão que sofreu, durante a infância, de raquitismo, asma e febre reumática. Tais acontecimentos levaram-no a interessar-se pelo estudo da anatomia e fisiologia humana e dos fundamentos de medicina oriental. Através do seu trabalho e para evitar passar o resto da vida dependente de uma cadeira de rodas, desenvolveu cerca de 500 exercícios que o ajudaram, bem como aos seus seguidores, a levar uma vida longa e sã.

Este método de alongamento e exercício físico, que utiliza o peso do próprio corpo, baseia-se na anatomia humana e o seu objectivo é fortalecer os músculos do “core”, ou seja, músculos que rodeiam e suportam o tronco.

Como consequência, melhora a postura, reduz o perímetro abdominal e promove uma maior consciência corporal. Para além disso, estimula o bem-estar psicológico, aumenta a concentração, contraria o stress e, como se trabalham os músculos pélvicos, beneficia a sexualidade, ajudando também a prevenir a incontinência urinária.

Respirar corretamente é essencial em Pilates, ainda que esta possa ser a área mais complicada de dominar. Como se tenta manter sempre o transverso abdominal constante e suavemente contraído, a respiração tem de ser lateral-toráxica (as costelas expandem lateralmente na inspiração e relaxam na expiração, mantendo-se o abdominal com a mesma contracção ligeira e sem levantar os ombros).

pilates